Pegar no flagrante a traição ou deixar para lá?




Depois que uma traição é descoberta, a maior parte das pessoas não descansa até ter uma prova visual, uma comprovação com os próprios olhos que tudo aquilo é verdade. Até a troca de mensagens parece irreal, que não existe e toda pessoa traída quer uma prova real, olhar e se possível fotos para lembrar daquilo. Será que vale a pena?

Pegar no flagrante a traição ou deixar para lá

As vezes vale a pena tentar ver de perto

Traições são problemáticas sempre. Primeiro porque muitas não existem, são apenas boatos de pessoas invejosas para poder acabar com o seu relacionamento, ou pessoas que querem ficar com seu marido ou esposa e acabam por inventar boatos para se aproximar quando a relação estiver em crise. Existem motivos diversos para as pessoas invetarem uma traição e muitas nem existem. Em tais casos é importante investigar um pouco mais.

Mas sua investigação não precisa ser cara a cara. Você pode observar o comportamento do companheiro, ler suas mensagens no celular e acompanhar suas ligações por alguns dias, sem nada dizer. Em algum momento todo mundo que está traindo acaba por escorregar nas suas escondidas.

Será que vale mesmo a pena ver?

Se você já tem certeza que está sendo traída, uma confirmação visual pode ser algo dispensável. Observar a pessoa a qual tanto ama estando com outra pessoa em uma entrega total pode ser doloroso, cruel e traumático. As vezes é totalmente dispensável, pois pode abalar seriamente a confiança no sexo oposto e atrapalhar futuras relações.

Se há uma certeza de que a traição existe, vale a pena repensar a relação, mas não se precisa ir até o ponto de encontro do casal e flagrar alguma coisa. Na maior parte das vezes causa apenas tensão e pode terminar em tragédia quando uma das partes se exalta. E não é nada agradável escutar o que o amante tem a dizer, podem ser coisas bem íntimas para formar uma imagem visual a qual você não quer ter.

Este site lhe foi útil? Clique no G+1. É muito importante pra nós. Obrigado!
Revenda Roupas

Deixe um comentário