Violência psicológica: o que é e como evitar




violência psicológica pode ser definida por um tipo de violência que envolve um dano psicológico a uma pessoa agredida. A violência psicológica é compatível com a violência física ou violência verbal mesmo que não haja danos visíveis e fotografáveis. O dano causado a uma pessoa que tenha sido vítima de uma agressão sexual não é apenas o dano decorrente das lesões físicas a ela ou seu corpo, o trauma psicológico do evento é um tipo psicológico de  violência psicológica.

As pessoas não precisam te tocar para agir com  violência psicológica. Elas podem usar palavras como ameaças de morte, xingamentos, ameaçando seus amigos e parentes e até tirar a própria vida para te impedir de ir do lado contrário. Algumas pessoas usam a  violência psicológica como uma forma de tortura para evitar que seu companheiro fuja, denuncie os maus tratos ou encontre outra pessoa para viver. A  violência psicológica é muito comum entre casais, infelizmente.

 violência psicológica

Não existe justificativa para a  violência psicológica

Além de doença mental por parte do agressor, nenhuma pessoa deve sofrer  violência psicológica. As pessoas agredidas costumam se sentir culpadas porque sofrem danos mentais neste nível, mas não devem. A principal ferramenta e causa da  violência psicológica é inibir as pessoas, deixá-las se sentindo impotente e incapazes de reagir. É uma arma branca, usada como uma ferramenta de guerra sem ferir e por isso as pessoas acreditam não haver motivos para queixas. A  violência psicológica pode acontecer no trabalho também, com agressões contra raça, cor e forma de se vestir e atuar de um profissional. 

Não cale diante do problema

Pessoas que sofrem de  violência psicológica costumam não contar sobre sua situação. Isso porque não há nenhuma cicatriz externa e não há(segundo elas) o que relatar. Contudo, ameaças de morte e de ferir são crime diante da lei e devem ser denunciados na delegacia. Uma boa dica é gravar a conversa e mostrar a policiais ao registrar um Boletim de Ocorrência. Tal medida pode separar de vez o agressor do agredido, com direito a ordem de restrição de contato em uma distância mínima a partir de 50 metros. 

 violência psicológica

Procure ajuda

Se você sofre com  violência psicológica, procure ajuda de parentes, amigos e profissional. Os danos podem ir de pequenos traumas a se relacionar socialmente até isolamento social completo. Conte a amigos e tende fugir do agressor o mais rápido possível, buscando a lei caso seja necessário.

 

Este site lhe foi útil? Clique no G+1. É muito importante pra nós. Obrigado!
Revenda Roupas

5 Comentários

  1. Angra says:

    Olá preciso de algum tipo de ajuda não sei mas o que fazer meu marido. Me tortura tudo ele diz que é culpa minha falo demais. Me chama de cobra, falsa, me liga so pra dizer que algo deu errado que tenho a boca amaldiçoada. tipo se o dinheiro do pagamento dele não sai é pq pensei negativo.Diz que ninguém gosta de mim que sou mal amada. Que ele nem sabe pq ta comigo me chama até de macumbeira. Só pq as vezes não quero que chegue perto de mim pq está com cheiro de cigarro ou bebida. Diz se eu deixa vai me perturbar. Gente estou destruída não tenho mas vontade de nada excluir minhas redes sociais tudo já tive depressão por algo que aconteceu na minha adolescência. Na época tentei até me matar gente as pessoas dizem que isso é frescura. Não sei o que fazer por favor me ajudam.

  2. anonimo says:

    meu marido fica insinuando que sou gorda, ai resolvo fazer dieta e ele nao apoia, reclama que eu fico de cabelo preso, que eu corto o cabelo, ai passa uma mulher de cabelo solto ou cumprido na rua e fala “olha lá, aquele cabelo é bonito, e ta solto, e voce com o seu preso.” ficava dizendo que eu era bochechuda, ficava me ridicularizando as vezes ate na frente de amigos dizendo ser “brincadeira” ai eu gastei o dinheiro que eu nao tinha e fiz uma bichectomia, que é a retirada da glandula que faz as bochechas ficarem grandes. quando eu compro uma joia, ou uma coisa cara – que ele nao tem ou queria ter e nao pode – fica dizendo que é feio, acha logo um defeito. uma vez ele teve a coragem de dizer que eu nunca poderia ter um celular melhor que o dele. sofro com isso.

  3. Autônoma says:

    Sofro violência psicológica desde 2008, meus pais morreram sofrendo violência psicológica por
    parte de um bandido que se rotulava como filho primogêneto, tudo por conto de uma herança.
    Quando a justiça do Distrito Federal se deu conta, já era tarde demais! Meus pais já estavam
    mortos! O filho mais velho que ha-
    via se apresentado como bonzinho, deixou a máscara cair! Hoje sofro uma intensa defamação por parte deste bandido e sua quadrilha, não consigo trabalho, fui obrigada a trocar de faculdade, os poucos que se aproximam de minha pessoa, misteriosamente se afastam ou de
    uma hora pra outra passam a me agredir verbalmente e/ou a rir sem parar.
    Impossível solução quando há advogado de renome, propina, gente velhaca fazendo parte
    dessa baixaria ,até alguns policiais civis sabem o que está acontecendo, mas fingem que nada sabem . Sei que o ódio maior está relacionado com o fato
    deste bandido não ter conseguido me interditar, assim como ele fez com os meus pais. Seu
    objetivo maior agora é não permitir que eu termine minha faculdade´
    Voces acham que algum órgão da justiça vai se preocupar com o que está acontecendo
    aqui em Brasília? Vai nada!
    É mais fácil dizer: Essa mulher é louca!

    ANÔNIMA

  4. Erika says:

    Estou sofrendo violencia pscologica e verbal.
    Começou no trabalho. E o salafrario agora me difama por todo lugar e ainda consegue achar um bando de infeliz q age como ele.

    Pessoas passam na porta do meu novo empreogo, da minha casa
    e dizem “Morre desgraçada”
    Era isso o dia inteiro no outro trabalho e nenhum vizinho nada ajuda pra denuncia.

    Ñ sei como proceder em larga escala. Tenho gravações da minha nova chefa. Achando q tava louca ate q percebi q era a desalmada. Ñ sei como proceder.

Deixe um comentário