Que tipo de esposa eu sou?

Esposas parecem, mas não são todas iguais. Cada mulher tem uma forma de se comportar e poucas conseguem enxergar seus erros e acertos. Você sabe seu perfil de esposa? Pode ser igual ao de sua amiga que você critica bastante e cometendo os mesmos erros, você chega aos resultados, talvez não tao agradáveis. Aprenda um pouco mais sobre o seu perfil de esposa e quem sabe a como melhorá-lo.

A reclamona – é um dos tipos mais odiados pelos homens, e mais comum. Ela reclama da louça suja, da roupa para lavar, do atraso, do sapato fora da sapateira… reclamar na verdade não adianta e ainda cansa a relação. Você sabia que pode ter resultados melhores apenas pedindo ‘por favor’? O marido também vai se sentir valorizado e responde melhor a um pedido educado.

A amorosa – se for amor sincero e esperando o marido chegar em casa cheia de amor para dar, tudo bem. A grudenta, intensa e que liga o tempo todo não é legal. Fica até sendo chato uma mulher ligar o tempo todo para saber onde ele está e cobrando o tempo todo carinho e atenção. Na medida certa é uma ótima pessoa para estar do lado.

A sempre certa – são realmente as piores. Há maridos querendo sempre estar certo e esposas sempre querendo ter a razão. Nenhum dos dois combinam e nenhum dos dois consegue ter uma vida longa juntos se vão sempre ter entraves psicológicos. A arte de ceder de vez em quando ao outro é complicada, mas com o tempo damos um jeito.

A sempre de mau humor – uma eterna TPM. Ficam irritadas contigo, as vezes até na hora de dormir. Ninguém suporta alguém que não consegue enxergar nada de bom na vida ou não consegue dar um sorriso. Comece a ver beleza na simplicidade e pense no quanto você é sortuda por ter dois braços e duas pernas e ter uma vida mais fácil ou apenas por estar vivo. Pode mudar seu conceito de vida.

A chorosa – são as mais carentes. Uma lágrima e drama de vez em quando é até bom para a relação. Os homens acalentam, ela se sente protegida e tudo certo. Mas isso todos os dias não rola. Moderação sempre.

Deixe um comentário